domingo, 10 de abril de 2011

Essa Menina*

Enquanto eles a criticavam, ela ouvia uma canção gostosa.
Eles riam de seu cabelo, suas roupas, sua magreza (...) e ela escrevia poesias, sem se preocupar com as rimas.
Eles tentavam chamar a atenção de todos e para isso precisavam de alguém. Ela não precisava de ninguém para chamar atenção, não era o que pretendia, só sorria por que era feliz e gostava de borboletas. E nem ligava se uma coisa não tivesse nada a ver com outra.
Diziam eles que aquela menina de pernas tortas vivia no mundo da Lua. Quem sabe! Enquanto ela foi feliz, eles se preocuparam todo tempo com coisas fúteis.
Não admitiam tamanha indiferença e um dia derramaram tinta na sua roupa. Mas ela adorava misturas de cores e se aproveitou disso para desenhar alguma coisa que eles não conseguiram compreender.
Enquanto todos gastavam o tempo pensando que ela dormia, ela estava vivendo. E depois de ter pintado um mundo em formato de coração, a mocinha desejava que um dia todos acordassem para sonhar também.



[Laiana Vieira]

9 comentários:

Decca disse...

Hum... Essa menina, também quero acordar pra sonhar...
Parabéns flor! Obrigada por existir!

AnaCamila disse...

Que texto doce...coisa mais linda de se ler.
como seria maravilhoso se todos, os metade de todos fossem assim...
eu sou um pouco desse jeito, confesso. Sonho d+, e vivo muito, sem me importar com o egoísmo do resto do mundo.
Estou te seguindo, adorei seu blog.
Beijos =*

Jân Bispo disse...

E a certeza de que ser diferente é bom, é algo magestosos, que essa menina seja assim sempre, feliz por ela mesma, pelas minimas coisas (ou máximas) com o tempo ela vai ensinando aos que dormem que o melhor sonho vivemos acordados!
lindo Lai... beijossss

Priscilla Cavazzotto disse...

Adorei tuas palavras!
Passando para lhe desejar um bom final de semana!
Beijos meus

Sana Tess disse...

olá.. venho desejar um lindo final de semana.. beijinho!

Nathacha disse...

Olá querida, estou te seguindo se puder retribuir a visita, ficarei grata :)


www.medicinepractises.blogspot.com

Fátima Vaz de Lima disse...

Amei o texto, doce, leve e real. As diferenças incomodam.
Parabéns por sua criatividade.
Bom domingo.

Alana. disse...

Cheguei aqui por acaso e parei pra ler. É incrível como seu texto me define. Adorei.

Te convido também a visitar o meu blog. Aparece lá. beijo.

Mayarak disse...

Cheguei aqui por acaso ² e você não tem noção de como seu texto me mudou . Obrigada .