quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Pra ela sorrir


Disse que sempre que lê um texto meu sente vontade de chorar. Ela sempre se emociona com declarações de amor. E eu gostaria de fazer uma daquelas que, ao contrário de lágrimas recheadas de saudade de um tempo que não vai voltar, risos constantes sejam presentes a cada palavra percorrida com o teu olhar. Hoje eu quero ver o teu sorriso de menina, o teu sorriso mais escancarado daqueles que até os queiros aparecem sem querer. Quero vê-la sorrindo hoje, assim como ontem e nos outros dias em que vivemos, quero vê-la feliz por toda a sua vida e ainda acho pouco.
Começo a ter lembranças antigas da época em que eu não conseguia distinguir sonho de realidade...
Lembra do banho que te dei quando brincávamos de molhar uma a outra, pegando água do tanque com as mãos? Era para ser com as mãos, mas acabei cometendo excessos, terminei por encher o balde e encharcar todo o teu vestido azul de bolinhas brancas da Lilica Repilica. Aquele banho foi uma prova de que te amo exageradamente. Pode crer!
Lembra quando levantei o teu vestido na porta da rua e te deixei muito envergonhada por que o Danilo passava bem na hora? Foi por que amo você.
Lembra quando eu saia puxando a tua perna de um lado a outro da casa só para ver você pulando de um pé só e sorrindo desenfreadamente até que eu a soltasse e você brigasse comigo? Era por que amo você.
Lembra quando puxei o teu cabelo com força por que não queria que você me deixasse na sala de aula sozinha com todas aquelas pessoinhas desconhecidas? É... Foi por que te amo e adoro a tua companhia.
Lembra quando nós pensávamos que andaríamos juntas o tempo inteiro desde quando 'você levava o pão e eu a margarina' até quando nos tornássemos velhinhas?
É... O tempo vai fazendo com que a gente mude de comportamento, de hábitos e companhias, mas, com certeza, o amor só vai aumentando com o passar dos dias, das horas e do vento, independente dos caminhos às vezes meio contrários em que andamos.
Tenha certeza de que eu estarei sempre contigo, até mesmo se estivermos distantes um dia.
Queria ser teu anjo da guarda, mas sabe, de anjo eu não tenho nada e você é teimosa demais para que eu possa te cuidar 24 h. por dia. Por isso assumo meu papel de irmã menor e fico ao teu lado torcendo para que sejas imensamente feliz a cada dia. Até te escrevo uns textos para ver você sorrir.

Minha irmã, obrigada por dividir comigo o espaço, os chocolates medidos a régua, as alegrias e o amor de nossa mãe.


Eu amo você.

[Laiana Vieira.]

11-11-10. 23h. 34min.

5 comentários:

Luh Alves disse...

Oh meu amor...Obrigada!!
OLha só, tenho que confessar que vc consegui me fazer rir viu, gargalhar...Mas confesso também que, se tua intenção era que eu não sentisse vontade de chorar, sinto dizer que vc fracassou.
Mais uma vez me emocionei com suas palavras, com suas lembranças e com as minhas também. Tenho muitas saudades daquele tempo. Erámos praticamente uma pessoa só né? Estávamos juntas o tempo todo. E eu amava isso. Mas como vc mesma disse, o tempo vai mudando tudo e as vezes nos faz caminhar por estradas diferentes. Mas independente dos caminhos que trilhamos, continuamos sendo as melhores irmãs do mundo, as mais amadas e mais unidas.
Obrigada irmã. Te amo.

Jacqueline Cerqueira disse...

Que Lindo Lai, malvada você suspender o vestido da menina ... amei o texto é muito amor .. hahhahha Abraços!

Jân Bispo disse...

Amor real, quando se torna literatura nos deixa assim meio que sem palavras, é lindo de ver... enfim felicidades as duas!

Fátima Gaya disse...

Adorei tudo aqui....
Feliz 2011.
Beijocas

Decca disse...

Uau, mãe! Que lindo! Deu vontade de ter irmã para ler esses versos dedicados a mim. Muito lindo e verdadeiro!
Orgulhooooooooooooo!
Amo tu, flor de maracujá roxa! rsrs