sábado, 28 de fevereiro de 2009

Dedicatória



Tentei escrever algo simples
Apenas algo que demonstrasse o meu carinho e admiração.

Algo que combinasse com o nosso encontro, regado de poesias e carícias melódicas.

Puro afeto,

Que até então, toca apenas à alma.

Mas, escrever para um poeta exige mais...

Exige muito mais cores;

Exige trilha sonora;

Exige cheiro de flores;

Enfim...

Escrevo para alguém que consegue transformar uma simples conversa em um livro de recordações;

Alguém que consegue transformar um simples comprimento, em poesia;

Amado!

Como pode?

Em tão pouco tempo e com um contato tão raro e distante...

Como ia dizendo... Escrevo para alguém que consegue!

Não se sabe como. E nem importa saber!

O que quero dizer é, que quando eu crescer, quero ser poeta como você.


(Laiana Vieira.)

2 comentários:

Viajando nas Letras disse...

Por um segundo parei, inerte. As palavras ficaram atravessadas no meu coração. Nunca meu Deus, nunca...
Não que eu merecesse isso é indiscutível, pois nunca fiz além de sandices e pedidos sem jeito para aqueles que me circulam magicamente de poesia, de vida.
Ser chamado de poeta trás um forte peso porque todo e qualquer ser inquieto como este imita a vida; mas uma dedicatória para qualquer um que veja beleza nas letras é algo sobrenatural, transcendente mesmo.
Expor a emoção é algo difícil, e ao fazê-lo corremos grandes perigos, dentre eles de sermos “tachados”.
Ai... os suspiros são frenéticos, confesso. Não sei como agradecer, e nem sei se quero fazê-lo. Nossos corações se tocam, se explicam e se fertilizam na poesia-eterna-da-amizade.
Lai...adorada de minha vida, Gracias!

[Anderson Frasão]

Laiana Vieira disse...

Do coração de coração!

..."na poesia-eterna-da-amizade"...